2019 02.12
0
0

Empresário suspeito de desvio de verba pública se apresenta à polícia em Sorocaba

Luiz Carlos Rodrigues chegou a ter o nome incluído na lista de foragidos da Interpol e, agora, permanecerá preso. Outros três suspeitos estão detidos desde semana passada, quando foi deflagrada a Operação Tersus.

Um empresário suspeito de envolvimento com contratos superfaturados e desvio de dinheiro público de prefeituras da região se apresentou à Polícia Civil na Delegacia Seccional de Sorocaba (SP), nesta terça-feira (12).

Luiz Carlos Rodrigues chegou a ser preso por pose ilegal de arma na quarta-feira (6), quando a polícia deu início ao cumprimento dos mandados de busca e apreensão da Operação Tersus. Mas ele foi libertado no dia seguinte durante uma audiência de custódia. A esposa de Luiz Carlos e outros dois empresário continuam presos.

Somente depois da liberação de Luiz, a polícia conseguiu provar o envolvimento dele na organização criminosa. Na sexta-feira (9) a Justiça decretou a prisão preventiva de Luiz Carlos, mas o empresário não foi localizado em casa, na Grande São Paulo.

Por isso, Luiz Carlos chegou a ter o nome incluído na lista de foragidos da Interpol e teve o passaporte bloqueado. Diante da situação, advogados do empresário entraram em contato com o delegado seccional Marcelo Carriel e negociaram a apresentação dele.

"Ele possuía e administrava uma outra empresa, que, na verdade, faz parte de um conjunto só, onde todos os empresários tinham atividades fraudulentas. Foi comprovado isso, desvio de verba pública, fraude a licitação e também foi incluída a participação dele na quadrilha", explica o delegado.

O empresário chegou na delegacia seccional de Sorocaba acompanhado de três advogados e não quis gravar entrevista. Ele deve passar por exames no Instituto Médico Legal (IML) e depois será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória de Capela do Alto.

Assista a reportagem: https://globoplay.globo.com/v/7376709/

Entenda o caso

A Polícia Civil de Sorocaba (SP) divulgou no dia 6 de fevereiro de 2019 a prisão de quatro suspeitos durante a Operação Tersus, que investiga contratos superfaturados com prefeituras e desvio de verba pública.

De acordo com o delegado seccional Marcelo Carriel, entre os presos estão um empresário conhecido como Magrão, e apontado como o principal alvo das investigações, uma mulher que seria a sócia dele, o marido dela, o empresário Luiz Carlos Rodrigues, e o diretor de Transportes da Prefeitura de Araçariguama (SP).

Além disso, foram apreendidos carros de luxo da casa do empresário, entre eles Ferrari, BMW, Porsche e Mercedes, R$ 30 mil em dinheiro, joias, documentos e computadores.

A mulher foi encaminhada para Cesário Lange e os dois homens para Pilar do Sul. O marido da suspeita foi preso por posse de arma de fogo. Na casa deles, a polícia encontrou uma espingarda calibre 12, além de munições.

"As investigações começaram há cinco meses com a localização de uma testemunha, que é protegida e não identificada nos autos, que forneceu uma gama de informações que havia fraude nas licitações, uma verdadeira organização criminosa que praticava esses tipos de crimes", explica Carriel.

A Polícia Civil já identificou pelo menos 15 contratos de prestação de serviço, sendo cada um orçado em R$ 2,6 milhões, ainda segundo Carriel.

Os nove carros apreendidos foram levados para o pátio unificado de Sorocaba. Como são veículos importados e de luxo, ficarão em um espaço coberto. A polícia irá pedir à Justiça que os carros sejam leiloados para que assim parte do dinheiro desviado volte aos cofres públicos.

A Prefeitura de Araçariguama informou que os contratos foram fechados na administração passada, entre 2009 e 2014, e que a atual gestão está investindo em frota própria e reduzindo as locações de veículos. A administração municipal abriu uma sindicância para apurar os fatos.

O ex-prefeito de Araçariguama, Roque Roffman, disse que não tinha informações sobre a investigação.

Fonte: Portal G1