A prisão de Paulo Maluf e a vaidade do poder judiciário brasileiro

Por Leonardo Pantaleão*

Não foi por acaso que um dos maiores juristas que esse país já produziu, Rui Barbosa, em 1921, em seu discurso que se transformou em livro – Oração aos Moços, de forma até mesmo profética, assim asseverou: “A justiça atrasada não é justiça; senão injustiça qualificada e manifesta” Continue lendo “A prisão de Paulo Maluf e a vaidade do poder judiciário brasileiro”